top of page

Hipnose e técnicas que auxiliam no controle de dor


"A medicina tradicional tem se aliado a certas técnicas de hipnose para combater diversos problemas de saúde. Ele se soma a uma série de pesquisas publicadas em alguns dos periódicos científicos mais rigorosos do mundo, como Science, The Lancet e Proceedings of the National Academy. E o que esses estudos afirmam? Que dá, sim, para tratar dores crônicas, insônia, enxaqueca, obesidade, vícios, fobias, doenças de pele, entre outros males, com hipnose. Mas não é aquela hipnose de estalar dedos e fazer com que o problema desapareça. São sessões com método definido, em tratamentos que podem levar meses.
A prática vem crescendo bastante no Brasil, principalmente contra problemas de somatização, quando uma doença se manifesta ou se agrava por causa de algum distúrbio emocional. Os conselhos federais de medicina, psicologia, odontologia e fisioterapia já a aprovam”, diz a psicóloga Miriam Pontes, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Hipnose, que conta com 2 mil profissionais associados em todo o Brasil.”
No Centro de Dor do Hospital das Clínicas de São Paulo, técnicas mais longas são ensinadas para lidar com dores crônicas como enxaqueca e fibromialgia. “Ensinamos exercícios de auto-hipnose para que os pacientes repitam em suas casas”, diz Adriana Loduca, psicóloga do hospital. Uma das técnicas começa com exercícios de respiração em seis etapas e depois evolui para concentração em algum tipo de imagem, para que o cérebro se desvie da dor.” Revista Galileu - NOTÍCIAS - O lado sério da hipnose (globo.com)

SUGESTÕES DE DOR - CUIDADO COM A SEMÂNTICA!

Primeiro é importante frisar que o cérebro trabalha com previsões, ou seja, há sugestões

que ouvimos no dia a dia e influenciam a nossa percepção.


Lembre-se de algum dia que você foi ao médico e ele disse:

- Vou fazer um movimento e me diga se dói muito.

- Dói quando eu aperto aqui? Dói mais assim ou assado?

E assim o cérebro já começa a fazer previsões de dor e você acaba tendo a sensação de “procurar” e “encontrar a dor”.


E quando você foi vacinar-se e se auto sugestionou de que iria doer? Antes mesmo de ir até o posto de vacinação você já antecipou a dor.


Lembre-se de algum dia que você foi ao exame de sangue a alguém te falou:

- Você está em jejum e pode ser que você sinta mal ou desmaie..... e vc começa a procurar essas sensações.


Informações/sugestões inapropriadas em relação a dor (suas ou de terceiros) geralmente contribuem para o aumento da percepção da dor.


ASPECTOS IMPORTANTES NO CONTROLE DE DOR

Não existem receitas milagrosas! Em primeiro lugar é importante ir ao médico para verificar questões fisiológicas da dor. Outras questões importantes são os aspectos sistêmicos da dor, a dor faz parte de um sistema, o nosso corpo. Há diversas variáveis envolvidas:


- Como é a sua alimentação?

- Você tem rotina estressante? Está constantemente “em alerta”?

- Como está o seu sono? Consegue descansar?

- Como são as suas relações pessoais?

Existem estudos que sugerem que vínculos e relações interpessoais são variáveis relacionadas a percepção de dor.

- Realiza atividades físicas?

- Tem facilidade para expressar as suas emoções ou muitas vezes guarda e se cala?


Quando falamos em DOR é importante frisar que há vários aspectos e variáveis que estão interligadas.


TÉCNICAS DE RELAXAMENTO PODEM AUXILIAR NO CONTROLE DO DOR

Exercitar o relaxamento, dispara o sistema nervoso parassimpático, e auxilia no controle de dor. Seguem algumas técnicas que podem auxiliar:


Respiração 4 7 8: inspirando pelo nariz, expirando pela boca e movimentando o abdome.

Em um local tranquilo e confortável faça a seguinte:

1º Solte totalmente o ar dos pulmões;

2º Inspire por 4 segundos;

3º Segure o ar 7 segundos;

4º Solte o ar 8 segundos.


Repita o ciclo 3 vezes, permitindo que o oxigênio se espalhe pelo corpo e relaxe. Feche os olhos e imagine um lugar muito agradável e confortável. Fique nessa sensação por algum tempo e perceba a mudança na sua sensação.


REDIRECIONAMENTO DE ATENÇÃO & CONTROLE DO DOR

São técnicas que auxiliam no controle de dor pois alteram a “visão de túnel”, ou seja, visão focada em apenas uma coisa (no desconforto) e propiciam perceber outras coisas, alterando a percepção da DOR. Alguns exemplos:


- Treinar a mente a pensar somente no aqui e agora,

- Concentrar-se em sua respiração,

- Exercícios de atenção plena.


Dica para os exercícios: se por acaso você pensar ou experimentar a dor durante o exercício fale mentalmente “estou pensando na dor” e depois volte para o exercício.


Neste artigo ensinamos algumas técnicas que podem auxiliar no controle de dor, mas é sempre importante frisar que, buscar ajuda profissional é fundamental.



Andrea Felis

@makemovemind





2 visualizações

Posts Relacionados

Ver tudo

Yorumlar


bottom of page